Click here for Myspace Layouts

quarta-feira, 2 de junho de 2010

Mudar dói, não mudar dói muito

Por Anderson Araújo

É do filósofo grego, Heráclito de Éfeso, a célebre frase: "Não se pode entrar duas vezes no mesmo rio, nós somos e não somos". Assim como as águas do rio mudam constantemente, nós também sofremos constantes transformações e mudanças. É a ideia de que todas as coisas estão mudando sempre, nunca permanecem as mesmas. Mesmo sutis, estes movimentos ou transformações, ocorrem frequentemente.

A ciência e a física demonstram por meio de experimentos que a vida e todas as coisas estão sujeitas ao devir, ou seja, às mudanças. Geralmente as mudanças não são confortáveis. Mudar de casa, de escola e até mesmo de ideias sobre si mesmo e sobre o mundo pode trazer muita insegurança, mas pode trazer também amadurecimento.

Mudanças exigem adaptações, novos saberes e alargamento dos nossos limites, ou seja, é uma oportunidade para driblar ou superar alguma dificuldade. Cada pessoa possui uma identidade, ou caráter (ideia de algo impresso que não muda), por isso dizemos que temos nossos valores e princípios. Mas sempre existe um espaço para transformações, sobretudo daquilo que nos impede de avançarmos em nossos projetos.

Gabriel, "O pensador", tem uma frase que diz: "Seja você mesmo, mas não seja sempre o mesmo". Algumas pessoas reclamam da falta de um bom emprego; outras dizem que não são inteligentes, mas não trabalham para mudar, pelo contrário, lutam para continuar as mesmas. É triste perceber que estas pessoas paralisam suas vidas, devido ao medo das mudanças, ou ao comodismo dos lugares já conhecidos.

Neste sentido, penso que não há como fugir das mudanças, pois são próprias de tudo que vive e mesmo do que é inorgânico. Às vezes adiamos algumas necessárias transformações. Mas, como canta o compositor Oswaldo Montenegro: "hoje sei que mudar dói, mas não mudar dói muito".

7 comentários:

Camila disse...

Eu sinto saudade de muita coisa.
Entre essas, estão as aulas de Filosofia.

Anônimo disse...

OI PROFESSOR TUDO BEM?
ADOREI SEU BLOG MUITO LEGAL
GOSTEI MUITO DA SUA AULA!
SE NAO SE LEMBRAR DE MIM SOU A NOVATA DO 1 EJA TURMA A.
ANA CAROLINA NOGUEIRA!
TODOS OS TEXTOS SÃO OTIMOS!!!

Evandro disse...

E ae Anderson,seu blog é muito massa.
Minha matéria preferida e filosofia,continue assim,parabens flw

Rua Dr. Cassiano 163 Centro de Contagem disse...

mudar doi... como doi. Todo o conservadorismo visto na sociedade e dentro da vida individual de qq ser humano se justifica facilmente por um simples fato: a impossibilidade de enxergar o futuro... nao ha como prever oq ira acontecer, "o futuro a Deus pertence e cabe a nós construi-lo"; No entanto essa falta de planejamento gera incertezas e insegurança q, muitas vezes, fazem com que os homens se prendam com força a um passado, ou a um presente, ainda mal resolvido e sem pensar q tudo se transforma... independentemente de conservadorismos ou revoluções... tudo muda, a natureza faz as especies evoluirem, as rochas se transformarem em poeira, o mar se transformar em terra, a sociedade se modificar e o homem se metamorfosear... ja dizia Rauzito que preferia ser uma metamorfose ambulante do q seguir o conservadorismo, travestido, em uma velha opiniao! Doi... mas é necessario q doa...

Anônimo disse...

Oi professor!!
Gostei mto do blog!! E vc é mto genti boa, continue assim!!
Parabéns!!

Yuri Souza disse...

Mudar é um processo comum da nossa vida cotidiana, o importante é sabermos lidar com essas mudanças de forma a absorver da melhor forma possível sem que nossos princípios sejam afetados por isso.
"É preciso mudar para saber viver, é preciso lidar para sobreviver."
YURI DE SOUZA PEDRA 2ºA

leticia.emanuelle@outlook.com disse...

Oi prof. sou eu sua aluna do "1°E " no Amélia. .. amei seu blog.. vc é mesmo um gênio da filosofia. ..Parabéns seus textos são mesmo inspiradores... !!! :3 *--*