Click here for Myspace Layouts

terça-feira, 12 de outubro de 2010

O Pacto Social, um "Cálculo"

Por Anderson Araújo

Thomas Hobbes elaborou uma hipótese bastante plausível a respeito da natureza humana. Tal hipótese justificaria a necessidade de o ser humano viver em sociedade e, portanto, conviver pacificamente com os outros humanos.

No "Leviatã", um dos principais livros de Hobbes, ele caracteriza o ser humano inserido num hipotético "estado de natureza", no qual ainda não havia nem leis, nem propriedade privada. O homem era livre e, de certa maneira, podia fazer o que quisesse, pois não havia lei que restringisse o seu desejo. Mas sendo todos os seres humanos igualmente livres, num mundo sem leis, poderia haver tranquilidade, quer dizer, paz?

Não, pois se todos podem realizar os seus desejos sem impedimento algum, o homem vive constantemente sob o medo de perder o que é seu e até mesmo a própria vida. Neste sentido, Hobbes afirma que reina o medo e a insegurança no estado de natureza. Neste estado vive-se "uma guerra de todos contra todos", ou pelo menos a possibilidade constante desta guerra.

Por isso, os homens resolvem fazer um acordo ou pacto para garantir as suas conquistas e, portanto, a paz. Eles se associam e se organizam, formando o estado político. Neste estado há leis e um soberano que garante a paz e a ordem. Interessante notar que em Hobbes o homem não é naturalmente um animal político como pensou Aristóteles, mas um animal que age naturalmente em seu próprio benefício.

Para Hobbes a sociedade é resultado de um pacto para garantir a vida do homem. Hobbes diz que o homem faz um "cálculo", raciocina, utiliza a razão para garantir a sua vida e conclui, visando a conservação da vida, que o estado político é a melhor forma de vida, ainda que este estado limite as liberdades individuais.

REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA

HOBBES, Thomas. Leviatã. Trad. João Paulo Monteiro. São Paulo: Martins Fontes, 2008.





5 comentários:

Lucas Esteves disse...

Esse texto remete a questão da liberdade. Algumas pessoas dizem que que não somos totalmente livres, pq vivemos numa sociedade, com leis..etc...
Mas aí me surge uma dúvida. O quanto é importante ser totalmente livres, se não conseguimos fazer o uso da liberdade que temos dentro da sociedade, que nos dias atuais não é pouca.
Acho que a sociedade não restringe quase nada. É possivel sim viver uma vida lire dentro de uma sociedade, tá, pode ser que não todas, mas falo de onde eu vivo, da minha situação. Bom é isso que eu acho...

Um abraço...

Letícia Farias disse...

Será que viver em Estado é a melhor maneira de viver socialmente?
Essa é uma questão que é discutida há muito tempo, mas uma coisa é certa: ele se modifica o tempo inteiro e o conceito de liberdade também.
É preciso definir o papel de cada um em nossa sociedade, para que o futuro coletivo não fique nas mãos de um soberano.

Anônimo disse...

Como diz o texto , "Thomas Hobbes caracteriza o ser humano inserido num hipotético "Estado de natureza " " , o meu ponto de vista sobre o texto , é o tal : Os homens raciocinam , em viver uma vida "egoísta" , e agem de tal forma , que só trazem o seu próprio benefício . E esta "guerra de todos contra todos" meu pensamento é , são todos brigando para ver qual se sobressai melhor , olhando para seu próprio umbigo , coisas que os seres humanos não deveriam fazer , no meu ponto de vista . (Por : João Pedro Camargos . 2º ano C )

Anônimo disse...

Podemos ver através desse texto que o homem necessita viver em sociedade e até poderia ser livre . Mas , é egoísta e sempre está passando por cima de tudo e de todos pra conseguir o que quer , sem se preocupar com as necessidades do outro , ou seja , o homem não sabe fazer o uso de sua liberdade. Com isso surge o 'pacto social' , que restringe de um tirar do outro o que é dele por direito , assim , limita-se a liberdade de todo indivíduo , para cada um conquistar seus ideais sem passar por cima de ninguém , fazendo assim uma sociedade mais justa e organizada ! Renato Paes

Yuri Souza disse...

Segundo Hobbes, o estado de natureza o homem é livre para fazer o que quiser, suas atitudes não seriam previamente moldadas pela sociedade, não teria um ordenamento que lhe impusesse deveres e direitos,tornando a vida um caos pois não se teriam limites e imperaria a lei do mais forte. Por isso o calculo, um pacto social para manter a sociedade em ordenada.
YURI DE SOUZA PEDRA 2ºA